Produtores INDIE:

os argumentos que constituem os diferentes discursos acerca dos produtores de jogos independentes

  • Jardiel de Moura Gomes Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
  • Anderson Diego Farias da Silva Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Produtores independentes, Discurso, Categorias Foucaultiana

Resumo

Este estudo tem como objetivo avaliar os argumentos que constituem os diferentes discursos dos produtores de jogos independentes. Para alcançar este objetivo, foram acessadas três posições discursivas sobre o tema, sendo elas: o discurso dos produtores independentes, o discurso da mídia e o discurso dos grandes produtores de games. O arquivo está constituído de dados documentais e relatos de entrevistas coletadas nos principais meios de comunicação. Para tal, o período analisado para este artigo foi de cinco anos, de 2011 a 2016. Os resultados apontam para três formações discursivas, sendo elas: novas plataformas potencializam o mercado de games independente, preconceito e falta de incentivo à produção independente e falta de política pública impede a afirmação nacional dos produtores independentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jardiel de Moura Gomes, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Mestre em Administração (PROPAD/UFPE), membro do grupo de pesquisa Lócus de Investigação em Economia Criativa. MBA em Planejamento e Gestão Organizacional (FCAP / UPE); Bacharel em Administração de Empresas (ESTÁCIO); Graduação Tecnológica em Gestão de Pessoas (FBV). Atualmente, Professor Universitário da  Faculdade de Saúde de Paulista (FASUP). Professor Nível Técnico dos cursos de: Administração, Logística e Desenvolvimento de Sistemas, vinculado ao Governo de Pernambuco. Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Criativa, atuando nos seguintes temas: Empreendedorismo, Inovação, Novas tecnologias e arranjos produtivos, Educação Organizacional e Tecnologia da Informação e Comunicação. 

Referências

AZEVEDO, S. D. R. Formação discursiva e discurso em Michel Foucault. Filogenese, vol. 6, n. 2, p. 148-162, 2013.
COSTA, F. Z. N. Relíquias de Potterheads: uma arqueologia das práticas dos fãs de Harry Potter. Tese (Doutorado em Administração). Recife: UFPE/PROPAD, 2015.
COSTA, F. Z. N.; GUERRA, J. R. F.; LEÃO, A. L. M. O Solo epistemológico de Michel Foucault: Possibilidades de pesquisa no campo da Administração. Revista de Ciências da Administração, v. 15, n. 35, p. 168, 2013.
COSTA, F. Z. N.; LEÃO, A. L. M. S. Desvelamento do limiar discursivo de uma marca global em uma cultura local. Cadernos EBAPE.BR, v. 9, n. 2, jun., p. 300-332, 2011.
CASTRO, E. Vocabulário de Foucault: um percurso pelos seus temas, conceitos e autores. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.
FLEURY, Afonso; NAKANO, Davi; CORDEIRO, J. H. D. O. Mapeamento da indústria brasileira e global de jogos digitais. São Paulo: GEDIGames/USP, 2014.
FERRARI, Pollyana. A força da mídia social: interface e linguagem jornalística no ambiente digital. Editora estação das letras e cores, 2019.
FOUCAULT, M. A arqueologia do Saber. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.
GEDIGAMES. Mapeamento da indústria brasileira e global de jogos digitais. Contrato BNDS-FUSP 12.1.0431.1. Grupo de estudos e desenvolvimento da indústria de games. Fev., 2014.
GIACOMONI, M. P.; VARGAS, A. Z. Foucault, a arqueologia do saber e a formação discursiva. Veredas online, análise do discurso. UFJF, v. 2, p. 119-129, 2010.
HAROCHE, Claudine; HENRY, Paul; PÊCHEUX, Michel. A semântica e o corte saussuriano: língua, linguagem, discurso. In: Análise do discurso: apontamentos para uma história da noção-conceito de formação discursiva. São Carlos: Pedro & João, p. 13-32, 2007.
HOLLINS, Paul; WESTERA, Wim; IGLESIAS, Borja Manero. Amplifying applied game development and uptake. In: European Conference on Games Based Learning. Academic Conferences International Limited, 2015.
HONORATO, R. A hora e a vez dos ‘indie games’. São Paulo: Revista Veja / Editora Globo, 2012. Disponível em: . Acesso em 08 jun. 2017.
LEÃO, A. L. M. de S.; MELLO, S. C. B. de. Apresentando a Etnografia da Comunicação ao Campo da Pesquisa em Administração. In: I Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade, EnEPQ. Recife, Nov. 2007.
LEÃO, A. L. M. S.; FERREIRA, B. R. T.; GOMES, V. P. M. A" white elephant" on Natal's dunes? A post-developmentalist analysis of the discourses surrounding the construction of the Arena das Dunas. Revista de Administração Pública, v. 50, n. 4, p. 659-688, 2016.
LEMES, D. O. Games Independentes: Fundamentos metodológicos para criação, planejamento e desenvolvimento de jogos digitais. Dissertação (Mestrado). São Paulo: USP, 2009.
LIPKIN, N. Examining Indie's Independence: The meaning of" Indie" Games, the politics of production, and mainstream cooptation. Loading..., v. 7, n. 11, 2013.
MACHADO, R. Ciência e saber: a trajetória da arqueologia de Michel Foucault. In: Ciência e saber: a trajetória da arqueologia de Michel Foucault. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.
NESTERIUK, S. Indie games como paradigma da indústria criativa: perspectivas e possibilidades comunicacionais. Organicom, v. 12, n. 23, p. 124-137, 2015.
NYMBURSKÝ, J. Games são entretenimento para 66% dos brasileiros. São Paulo: Editora Meio & Mensagem LTDA, 2019. Disponível em: . Acesso em: 13 mai. 2016.
PRICEWATERHOUSECOOPERS (PWC). Global entertainment and media Outlook 2014-2018. Londres: PwC, 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2017.
PRICEWATERHOUSECOOPERS (PWC). Global entertainment and media Outlook 2018-2022. Londres: PwC, 2019. Disponível em Acesso em: 21/10/2019.
ROCHA, M. Z. B. As Sendas da Verdade: um olhar foucaultiano sobre a busca da verdade. Sociologias, v. 20, n. 47, p. 308-336, 2018.
STIVAL, M. L. A arqueologia e seus limites. Revista de Filosofia Aurora, v. 31, n. 52, 2019.
STEWART, J.; MISURACA, G. The industry and policy context for digital games for empowerment and inclusion: Market analysis, future prospects and key challenges in videogames, serious games and gamification. Luxembourg: Publications Office of the European Union, 2013.
TANJI, T. Os brasileiros no mercado dos games indie. São Paulo: Revista Galileu / Editora Globo, 2015. Disponível em: . Acesso em: 21 mar. 2018.
VEIGA-NETO, A. Foucault e as Artes de Viver. Dossiê: Foucault e as Estéticas da Existência. Revista Aulas, Campinas, UNICAMP, n. 7, 2010.
Publicado
2020-05-08
Como Citar
Gomes, J. de M., & Silva, A. D. F. da. (2020). Produtores INDIE:: os argumentos que constituem os diferentes discursos acerca dos produtores de jogos independentes. Revista Vianna Sapiens, 11(1), 35. https://doi.org/10.31994/rvs.v11i1.616

Most read articles by the same author(s)